0 / 0

Educação: Alunos explicam razões na inscrição em EMRC (C\vídeo)

Ecologia, valores, temas do mundo ou a "aquisição de um olhar crítico sobre a realidade" entre as razões da escolha.

Doze alunos, desde o 4º ano até ao 12º ano de escolaridade, estiveram esta tarde, à conversa com o jornalista Paulo Rocha, da Agência Ecclesia, e revelara “as razões da escolha pela disciplina” no final de um ano letivo “atípico”.

Matilde costa, frequenta o 7º ano em Sernancelhe, no Concelho de Lamego. A aluna destacou a importância da disciplina porque “transmite nos conteúdos” a necessidade de “ajudar o próximo”.

Sofia Silva, alunos do 8º ano, do Concelho de Sines, referiu que os pais “me inscreveram e eu não sabia ao que vinha”. Quatro anos depois afirma pedir “sempre a disciplina na altura de renovação das matrículas” pois “gosta de aprender coisas novas”. Durante o tempo de “pandemia a disciplina abordou o tema da Liberdade e descobri que existem vários tipos de liberdade”.

Também de Sines, mas no 6º ano, Margarida carreira, Sines, do 6º ano diz “que esta éa disciplina que mais me interessa” porque “é divertida e aprendemos muitos temas através de dinâmicas atividades”.

Duarte Domingos, do 10º ano, de Vila de Rei, frequenta a disciplina desde o 1º ano e afirma sentir-se “parte da disciplina”.

Fazer um mundo melhor: Uma disciplina “de aplicação prática”

“Aplicamos o que aprendemos na aula no dia a dia. O que faz o mundo melhor. A EMRC ajuda-me a ver o mundo de maneira mais positiva e bonita”, afirma.

Para o aluno Ricardo, do 8º ano, a inscrição na disciplina aconteceu por vontade dos pais: “Não tive escolha. E ainda bem!”, diz entre sorrisos para destacar que “esta disciplina não é igual às outras. Nela Falamos sobre temas do mundo e para além disso a professora é uma boa influência”, sustenta.

Ainda no primeiro ciclo a Matilde Delgado, do 4º ano, de Vila de rei, afirma “gostar muito de aprender coisas sobre Deus” e considera a disciplina “muito importante para a vida”.

“Estamos a aprender mais sobre a família. Tenho aprendido a sua importância e os vários tipos de família que existem. Estão sempre prontos a ajudar”, sintetiza com a lição bem estudada.

No 9º ano, em Sernancelhe, e a abordar a Unidade letiva “do Amor Humano” Margarida Mateus, destaca a “forma aberta como os temas são abordados em aula” permitindo “o debate e a troca de argumentos” em matérias “nem sempre de fácil abordagem”.

“Frequento a disciplina porque faz bem. Participamos em atividades que nos marcam para a vida inteira e fazemos uma reflexão aprofundada sobre a cidadania e os valores para nos tornar agentes de mudança no mundo”, sustenta.

Uma visão global do mundo

Carla Dias, aluna finalista do ensino obrigatório a frequentar o 12º ano, faz uma “retrospetiva do tanto aprendido” ao longo dos anos e destaca “a visão do mundo que a disciplina nos dá alargando-nos os horizontes”.

“Esta disciplina ajuda-nos a crescer enquanto pessoas e a ver outras realidades. Estamos, tantas vezes na nossa bolha, e esquecemos aqueles que estão perto de nós e que de nós precisam”, sintetiza.

Na mesma linha vai Diana, do 10º ano, de outro ponto do país, que recorda, com “saudade” a “construção da árvore solidária” neste ano letivo e o modo “como a disciplina foca a nossa atenção nos temas que aborda”.

Joana Rodrigues, do 8º ano, em Sines, diz que “experimentei a EMRC no 5º ano” e “nunca mais parei”: “Ajuda-me a compreender o mundo”, realça.

Durante três semanas, sempre às  terças-feiras, pelas 15h00, no programa Ecclesia, inserido no espaço interreligioso «A Fé dos Homens» da RTP2, a disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) vai estar em destaque dando a conhecer a experiência de professores, alunos e pais em época de isolamento social e no meio de um terceiro período atípico.

Veja,ou reveja, o programa da semana passada com o testemunho dos professores.

Educris|19.05.2020

 



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades