EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

Setúbal: Encontro com pais e docentes de EMRC

 

“Educar hoje: como e para quê” – a importância da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC), foi o tema do encontro de pais e educadores que se realizou no passado dia 18 de Abril no auditório da Escola Secundária Sebastião da Gama.

Perante uma assembleia que reuniu pais, professores, alunos, diretores de escolas, e interessados no papel do ensino religioso no espaço público e o seu contributo na transmissão de valores e construção comunitária do ser humano.

O encontro teve início com a intervenção de Salomé, aluna do 8º ano, que afirmou que frequenta a disciplina porque "as aulas são diferentes" e ajudam os alunos expressar-se e darem as suas opiniões sobre as matérias”. Para esta adolescentes as aulas de EMRC “são muito importantes e contribuem para desenvolverem nos jovens um maior civismo”.

Perante o questionamento que se se seguiu a aluna mostrou-se bastante convicta da sua escolha e lembrou que EMRC e catequese “são duas coisas diferentes” pois, não obstante abordar as temáticas “da vida numa perspetiva cristã, as atividades promovidas por esta disciplina são muito dinâmicas e são até muito úteis para a socialização”, afirmou.

 

Para Fernando Moita, coordenador do Departamento do Ensino religioso Escolar (ERE) no SNEC e convidado para este encontro “a educação dá-nos as ferramentas para a vida, para tomarmos decisões na nossa vida, a Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) dá uma grelha de leitura da vida, sob o ponto de vista cristão”.

Olhando para as diferenças e semelhanças entre a EMRC e a Catequese o responsável pelo ERE destacou, desde logo, a importância da catequese “na preparação para os sacramentos”. Por outro lado a EMRC “dala de amor, de perdão, e acolhimento, e ajuda os alunos a viverem melhor estas dimensões como seres humanos independentemente da confissão religiosa”.

Para Fernando Moita é claro que a EMRC “ trabalha o ser humano numa dimensão mais abrangente” e alertou para a ideia de que a “escola deve formar os indivíduos para uma visão global do saber e não apenas de um ou outro saber específico. Por isso, o sistema educativo não pode omitir a dimensão religiosa”, apontou.

Dimas Pedrinho, docente de EMRC e membro da Equipa Nacional da EMRC enquadrou, do ponto de vista legal, a disciplina no panorama educativo português lembrando que a mesma “é de oferta obrigatória em todas as escolas do país e de frequência facultativa”. Para este docente é importante que os pais “no ato de matricula, caso o pretendam, exerçam a opção pela disciplina” pois, após este tempo torna-se complicado”.

Antes de terminar o encontro a diretora do agrupamento de escolas que recebeu esta iniciativa alegrou-se pelo vivo debate e troca de ideias e ressaltou a ideia de que “nas escolas por onde tenho passado constato que os professores de EMRC são uma mais-valia e colaboram ativamente no projeto educativo da escola que vai mais além da sua própria disciplina”.

O encontro terminou com a palavra de D. Gilberto dos Reis, bispo de Setúbal, que estando presente no encontro lançou um pedido aos pais cristãos para ajudem “a partilhar a mensagem de Cristo como referência para a construção de uma sociedade melhor”.

 

Educris com www.rostos.pt




© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |