EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

Desabrigar-se e acolher o outro: uma experiência que enriquece

1300 alunos, 115 professores, 70 escolas e 16 dioceses participam, até sábado, no V Encontro Nacional do Ensino Secundário (VENES) da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC).

Vieram de todo país unidos pela mesma disciplina que frequentam: A EMRC. Afirmam que vale a pena a frequência da disciplina no secundário porque “aqui se aprende a ser pessoa mais completa”, “atenta aos outros”, “capaz de intervir no mundo”, e, claro, ou não fosse um encontro de adolescentes, “as atividades propostas e o convívio são muito bons”.

Estas foram algumas das frases que escutámos durante toda a tarde desta sexta-feira a alunos de Braga, Lisboa, Coimbra, Leiria, Vilar Formoso, Porto, Algarve, Lamego e tantas outras dioceses, cidades e Vilas, que se fizeram representar no V ENES que Leiria está a acolher.

O Encontro, subordinado ao tema “(Des)Abrigo-me Contigo” é uma “experiência radical para a qual os alunos do ensino secundário estão muito abertos” porque lhes permite “conhecer novas realidades e experienciar realidades que estão longe do seu dia-a-dia”, afirmou Fernando Moita coordenador do Departamento do Ensino Religioso Escolar no SNEC em declarações ao www.educris.com

Para este responsável pela EMRC “a simulação de um campo de refugiados” é “esta experiência de radicalidade que os mais novos procuram na construção da sua identidade”. Para o sucesso da atividade, que esgotou em menos de vinte e quatro horas o número de inscrições disponíveis, Fernando Moita aponta o “trabalho dos professores nas escolas ao nível da motivação e explanação destes conteúdos temáticos” e os diversos “recursos pedagógicos colocados à disposição da própria lecionação”.

Os alunos de EMRC experimentaram, durante esta tarde, a realidade do que é ser refugiado num contexto adverso através da simulação da entrada num campo.

Após o jantar, vivido à maneira dos refugiados, os alunos assistiram a vídeo sobre os refugiados na Síria.

A noite terminou com a criação de um “logo Humano” com a palavra «Paz» e o lançamento das luzes da vida sob a forma de pequenos balões com iluminados num momento de profundo silêncio em homenagem aos milhões de refugiados e aos cristãos perseguidos e mortos em nome da sua fé.

Segundo dia marcado por testemunhos

Para amanhã estão marcados ateliers de formação no Castelo de Leiria com testemunhos de refugiados e voluntários que fizeram experiências limite nos Balcãs e na Síria. Os alunos vão ainda assistir a um Teatro, numa representação pelo RefugiActo, companhia formada por antigos refugiados.

O V ENES termina na Sé de Leiria com o envio.




© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |