EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

Diga não à exclusão Social

Inserido no dia Internacional de Luta contra a pobreza e Exclusão Social, que hoje se assinala em todo o Mundo, a disciplina de EMRC da Escola Secundária Pinhal do Rei, na Marinha Grande, disse: presente!

Durante o dia várias ações vão sensibilizar os alunos desta escola para a pobreza e as mais variadas formas de exclusão Social.

Num comunicado enviado ao www.educris.com o professor de Joaquim Lourenço, docente de EMRC nesta Escola Secundária, destaca a importância "da presença institucional  da EMRC" na escola pois "é um importante  para o desenvolvimento das crianças, dos adolescentes e dos jovens" e prporciona "o reconhecimento da "componente religiosa como fator insubstituível para o crescimento em humanidade e em liberdade".

Situando o caso concreto da sua escola Joaquim Lourenço realça a ideia de que "nesta escola a  EMRC ajuda a amadurecer as interrogações sobre o sentido da vida" e mostra que o ser humano é "único e original" estando ao serviços de todos.

Para este docente é percetível que "muitos pais e encarregados de educação desejam que a componente religiosa integre a formação dos seus filhos", e outros há que se interessam somente pela sua "informação e formação moral e cultural". "Neste ambiente cultural e escolar, consideramos que a EMRC desenvolve um trabalho importante e insubstituível. A dimensão religiosa é constitutiva da pessoa humana. Nas aulas de EMRC cada ser humano é desafiado a agir de forma diferente na sociedade e a escutar o coração", conclui.

Manifesto lido hoje pelos alunos

 

"A atividade deste dia visa sensibilizar e interpelar, a nossa comunidade educativa e meio envolvente, para o problema da “pobreza extrema e exclusão social”. Respondemos ao desafio lançado pelas Nações Unidas: “Todos juntos por um mundo sem discriminações”.No quotidiano, cruzamo-nos com pessoas que são vítimas de pobreza e exclusão. Para nós, enquanto agrupamento, não queremos que estas pessoas sejam consideradas invisíveis, sem voz e sem direitos. A nossa escola, agora em agrupamento, pretende educar os seus alunos, para a partilha e solidariedade. Na nossa prática pedagógica tentamos formar cidadãos, conscientes dos seus deveres e direitos, interventivos e solidários. Os alunos acreditam que é possível ter uma sociedade mais justa e mais feliz.

 

Na realização dos projetos estão presentes temas como a cidadania, ecologia, trabalho, inclusão, direitos humanos, dignidade e direito de participação. Com este gesto pretendemos dizer que na Escola e no mundo, todos contam. Não queremos que nenhum ser “tenha vergonha de viver” neste mundo. Que nenhum de nós fique sentado enquanto existir pobreza e exclusão social.

Gritaremos a uma só voz: “Somos contra a pobreza e exclusão social”.

 

 

 




© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |