0 / 0

Viana do Castelo: «Conhece-me» levou 5 mil a Monção

Vila raiana acolheu XXIV Encontro diocesano da EMRC num dia de “alegria, agradecimento” e de “esperança no futuro”

Vieram de todos os “cantos” da diocese. Mais de 5 mil alunos participaram ontem no Fórum/Festa da EMRC de Viana do Castelo.

“Este encontro é o culminar de um trabalho dos alunos e dos professores que durante o presente ano trabalham, com roteiros próprios, o tema «Conhece-me»”, explicou ao Educris Lígia Pereira, responsável pela EMRC na diocese.

Num encontro “com forte preocupação ecológica” todo o lixo separado pela Valor Minho ganha “novo valor” e o dinheiro angariado “será entregue ao Ensino Especial aqui de Monção”, lembrou a responsável.

«Deviam estar aqui para ter esta lição de vida»

Presente no encontro, e em declarações exclusivas do Educris, António Barbosa, presidente da Câmara de Monção, afirmou ser “uma alegria muito grande receber tão grande número de jovens num interior cada vez menos jovem” e afirmou “ter pena de não os receber mais vezes”.

O autarca lembrou o “investimento camarário dos últimos anos em educação” e sustentou que é fundamental “trabalhar em conjunto com as várias entidades de modo a ajudar os mais novos a estudarem e a fixarem-se profissionalmente no território”.

Reconhecendo importância à disciplina na formação das novas gerações o autarca disse ter a convicção “de que hoje os jovens estão mais abertos aos valores” e isso é uma lição de vida para as gerações mais à frente”.

“Os mais velhos deviam estar aqui hoje para ter esta lição de vida”, apontou.

“Antigamente toda a gente tinha EMRC. Eu também tive e fui feliz. Mas os tempos eram outros e muitos vinham porque os pais queriam e por obrigação. Hoje assistimos ao inverso. Os alunos estão na disciplina porque querem, são voluntários, e não tem medo nem vergonha de afirmarem a sua opção pelos valores”, sustentou.

O presidente da câmara local mostrou-se “conhecedor” do programa da disciplina e garantiu que esta é fundamental para a edução integral dos mais novos “porque lhes permite “analisar e debater as questões da cidadania e incutir valores que permitirão às novas gerações serem mais valia para a sociedade”.

Uma grande esperança para o País

D. Anacleto Oliveira revelou-se “encantado” pelo encontro de tantos alunos que são “uma esperança grande para todos porque muitos daqui vão ter papel importante na vida do país”.  

Para o bispo de Viana do Castelo é motivo de alegria que “tantos procurem o rumo da sua vida a partir da mensagem cristã”.

Perante o tema do Fórum/Festa «Conhece-te» o prelado considerou que este é “provocador” e que convoca ao “autoconhecimento de si e do outro” de modo a poder “estar em sociedade e servir melhor o bem comum”.


   

JMJ: Uma oportunidade para a Pastoral Juvenil

Numa altura já de preparação para a Jornada Mundial da Juventude que Lisboa vai acolher em 2022 D. Anacleto Oliveira não tem dúvidas de considerar que este acontecimento é “vital para a Pastoral Juvenil” no nosso país e disse ter a convicção de que a “EMRC e os seus alunos em aqui um luar e um papel importante”.

“A disciplina de EMRC e os seus alunos, a partir do 3º ciclo e secundário tem um papel e lugar importante no caminho para as JMJ que Portugal vai receber dentro de três anos. É uma oportunidade única para a pastoral juvenil em Portugal e uma responsabilidade e desafio para os docentes da disciplina num caminho que se quer já fazer para as JMJ. É preciso investir neles”, constatou.

Perante a grande moldura humana e a grande percentagem de alunos que frequentam a disciplina de EMRC em Viana do Castelo D. Anacleto Oliveira mostrou-se convicto de que hoje os mais novos vivem num ambiente asfixiante” procurando “sentidos para si e para os que os rodeiam”.

“A disciplina, e o trabalho desenvolvido pelos professores, pode ser lugar de libertação e de autorreflexão necessária para o crescimento de cada um e da sociedade”, sustentou.

25 anos de Fórum em Paredes de Coura

No próximo ano a XXV Edição do Fórum/Festa vai decorrer “em Paredes de Coura” num momento que quer juntar “todos os alunos de EMRC da diocese de Viana do Castelo”, apelou Lígia Pereira.

“Temos que olhar para o futuro com muita confiança e com esperança. A realidade da EMRC na diocese é grande, mas ainda temos muitas conquistas em alguns agrupamentos. A EMRC é essencial na transmissão de valores sinto que hoje isso é reconhecido por todas as comunidades educativas”.

Educris|01.06.2019

 

 



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades