Solidariedade: EMRC associa-se à campanha «10 Milhões de Estrelas»

Cáritas Portuguesa e Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé (CEECDF) voltam reunir esforços para permitir aos alunos “envolverem-se numa dinâmica de serviço”.

O Dia Mundial dos Pobres 2018, que se assinalou no passado Domingo, dia 18 de novembro, ficou marcado pelo início da Operação «10 milhões de Estrelas – Um Gesto pela Paz». A iniciativa, da responsabilidade da Cáritas Portuguesa, vai, este ano, ajudar a minorar a “fome na Venezuela”:

“Este ano, vamos apoiar a Cáritas Venezuelana que mantem, no terreno, o projeto «Nutrir com Esperança» cujo objetivo é o de garantir o acesso à saúde e apoio nutricional a crianças até aos 5 anos e mulheres em situação de gravidez de risco”.

Cerca de 35% dos lucros da Operação deste ano seguem para aquele país da América do Sul de modo a “minimizar o impacto que a crise alimentar provocou, não só na nutrição, mas também na origem a conflitos e à degradação dos vínculos de vizinhança”, explica a Cáritas em comunicado.

Os restantes 65% são distribuídos pelas Cáritas Diocesanas, que a aplicarão em projetos destinados a apoiar as famílias portuguesas em situação de carência.

Alunos desafiados a uma dinâmica de serviço

Na sua 16ª edição a campanha mantem as parcerias com o Corpo Nacional de Escutas (CNE) e com a CEECDF através do departamento da Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC).

Ao Educris o professor Fernando Moita, coordenador nacional da disciplina explicou a importância deste gesto pela paz:

“A participação na «Operação 10 Milhões de Estrelas - um gesto pela paz» é uma oportunidade para que os alunos e professores se envolvam numa dinâmica de serviço, através a recolha de fundos, através da venda de velas, para apoiar quem precisa”.

O responsável lembra que a vela, usada na Operação, “tem uma grande dimensão simbólica pois representa a esperança e a luz que cada um é chamado a fazer crescer no mundo que o rodeia”.

A presença da disciplina na iniciativa pretende “levar aos alunos e demais elementos da comunidade educativa a pensar nos que mais sofrem e alimentar o simbolismo da vela acesa em contexto familiar, na época de Natal”, sintetiza.

De 18 de novembro até janeiro de 2019, todos os que, para além de assumirem este compromisso, quiserem juntar-se à Cáritas, participando na sua missão de estar ao lado dos mais frágeis, poderão adquirir uma vela pelo valor simbólico de 1€, que nos ajudará a apoiar pessoas e famílias em situação de pobreza.

Em 2011 e 2014 a disciplina de EMRC apresentou propostas de ação concretas para a campanha em contexto escolar.

Mais informações em www.caritas.pt/estrelas

Educris|20.11.2018

 






Newsletter Educris

Receba as nossas novidades