0 / 0

Catequese: Balanço e novidades para o próximo ano pastoral (C\vídeo)

Presencialmente ou online responsáveis analisaram ano catequético e lançaram bases para o próximo ano pastoral com novo curso «Ser Catequista»

Em tempos de incerteza D. António Moiteiro, bispo de Aveiro e Presidente da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé (CEECDF) considerou fundamental o papel dos pais na formação cristã dos seus filhos e deixou alguns desafios e linhas de atuação para o novo ano catequético.

“Não sabemos com vai ser o futuro. Sabemos que o papel dos pais vai ser fundamental na formação da fé dos filhos”.

Num momento em que pouco se pode prever, com segurança, para o próximo mês de setembro o prelado destacou a importância das “experiências online” e sustentou a necessidade “da prudência e do cumprimento das normas apresentadas pela Direção Geral da Saúde (DGS)”.

“Com certeza de que teremos grupos mais pequenos e que teremos maior presença online. Aprendemo-lo com este tempo de confinamento. Teremos de pensar em espaços diferentes. Há várias dimensões que precisamos acautelar para que haja uma catequese presencial segura e uma catequese que ajude a fazer a experiência da iniciação cristã sempre no estrito cumprimento das normas da DGS”.

Durante toda a manhã os responsáveis deram a conhecer as diferentes propostas e as dificuldades sentidas pelo setor da catequese em tempo de confinamento.

Para o padre Manuel Ferrão, da diocese de Coimbra este foi um tempo “com ritmos muitos diversos nas dioceses”.

“Naquelas em que se conseguiu aplicar os materiais recebidos pelo Secretariado Nacional da Educação Cristã correu bem. Houve muitas variáveis quer pelos pais, quer pelas realidades da paróquia ou dos próprios catequistas”.

O responsável deu conta “de excelentes iniciativas lançadas pelos catequistas para manter o contacto num tempo de incerteza”.

A irmã Arminda Faustino, do Secretariado de Viseu deu conta “do empenho do bispo diocesano e dos párocos que procuraram chegar junto das famílias” e considerou que “este foi um tempo que devemos interpretar como um desafio”.

Elmira Silva, do Departamento Arquidiocesano da Educação Cristã de Braga destacou o “projeto Sayes e o Catequese em nossa Casa como duas propostas muito válidas que foram acompanhadas por outras propostas pelo departamento”.

«Ser Catequista»: mais do que um curso, um percurso

Durante a tarde foi apresentado o curso «Ser Catequista» que substitui o curso de iniciação catequética e que faz parte da estratégia da catequese em Portugal para a formação dos catequistas e que vem substituir o curso de iniciação.

A nova formação propõe um “percurso de fé para os próprios catequistas para que possam ser para outros testemunhas do encontro com Jesus Cristo” como explicou ao EDUCRIS o padre José Henrique Pedrosa.

“Mais do que um curso trata-se de um percurso de fé que se pretende fazer com s catequistas. Tendo em conta a sua identidade que assumem a sua missão neste campo da catequese”.

D. António Moiteiro explicou que a implementação do curso passa pela sua realização em pequenos grupos de diferentes dioceses ao longo do próximo ano pastoral.

“Vamos dar prioridade às zonas. Dioceses agrupadas em que através de pequenos grupos, possa ser feita a experiência desta nova formação”.

A reunião apresentou, ainda, a reformulação do projeto Sayes para o próximo ano catequético e anunciou, para o final do mês de setembro, a edição portuguesa do novo diretório para a catequese.

Educris|12.07.2020 



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades