Covid-19: Uma «Catequese que não Pára», nos Açores

Paróquia de Vila Nova, na Ilha Terceira, usa aplicativos para continuar “o encontro com Jesus Cristo”.

A 13 de março de 2020 a catequese paroquial foi encerrada, seguindo o as indicações da Conferência Episcopal Portuguesa, do passado dia 13 de março. Milhares de catequizandos, catequistas e famílias viram, assim, ser interrompida a ligação à comunidade paroquial em virtude da pandemia do Covid-19.

“Apanhados no meio deste turbilhão” os catequistas de todo o país “vão inovando na tentativa de continuar a ajudar as crianças, adolescentes e jovens, com as suas famílias, a fazer a experiência do encontro com Jesus Cristo”, como nos explica Lisandra Dinis, da Catequese de Vila Nova, na Ilha Terceira.

“A ideia surgiu por altura da solenidade de São José. Os meninos do 2º ano iam fazer a «festa do Pai-Nosso, mas o vírus não deixou. Ficámos tristes, mas não parados e lançámos um desafio para casa. Cada criança deveria fazer um desenho, uma mensagem ou uma oração sobre São José e nós colocámo-la na nossa página de Facebook”, explica a responsável.

Facebook, WhatsApp e o velhinho telefone

A ideia foi “um sucesso inesperado” que os catequistas “pensaram logo na semana seguinte”.

“Como vamos ter aqui o Dia Diocesano do Doente lembrámo-nos de continuar com esta dinâmica, mas agora voltada para os doentes e para quem cuida deles”, aponta Lisandra Dinis.

Com mais de uma centena de catequizandos, entre o 1º e o 10ºano, a catequese paroquial estabeleceu “grupos de WhatsApp ou grupos privados de Facebook” onde “cada catequista está em contacto com os mais novos”.

Para a catequista, que tem “vários anos de catequese”, a experiência tem sido muito “positiva porque os adolescentes [no caso um grupo de 8º ano] tendem a partilhar mais na rede do que fisicamente”, afirma sorridente.

“Uns falam sobre o seu estado de espírito, outros partilham orações, e alguns, que até se ‘portavam mal’ na catequese dizem que estão cheios de saudades”, completa.

Uma catequese para toda a família

Para os mais novos a paróquia entra em contacto telefónico com os pais para os envolver e para partilhar dinâmicas para a catequese em casa.

“No fundo pretende-se ajudar as famílias a viver em conjunto esta dimensão tão importante e a fazerem o encontro com Jesus Cristo”, aponta.

As próximas semanas “ainda não estão pensadas”, mas a ideia, desta paróquia, passa “por assinalar este tempo litúrgico” com “novos desafios e atividades”.

“Queremos manter a comunidade cristã unida e fortalecida, mesmo que fisicamente estejamos afastados uns dos outros”, completa.

Propostas online e na TV

Atualmente o Secretariado Nacional da Educação Cristã, em parceria com o Sector da Catequese de Lisboa e o Secretariado Nacional das Comunicações Sociais da Igreja, através do programa Ecclesia, produzem o «Catequese em nossa Casa» com temas catequéticos semanais. Para ver todas as quartas-feiras, peças 15h00 na RTP 2.

Em Braga, a Arquidiocese, apresenta, na rede social Youtube, todas as sextas-feiras, o programa «Catequeses com o Bispo».

Diariamente em www.educris.com, vamos partilhar “boas práticas” e reflexões catequéticas em tempo de pandemia, com comunidades paroquiais de norte a sul do país.

Siga-nos com a hashtag #catequesenãopára

Envie-nos a sua experiência para comunicacao@educris.com

Educris|26.03.2020

 



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades