0 / 0

JMJ 2023: Comité Organizador Local reuniu-se em Braga

Organização local recalendarizou propostas e vai ter hino e logotipo até ao final do verão 

O Comité Organizador Local (COL) das Jornadas Mundiais da Juventude de 2023, que vão decorrer em Lisboa, reuniu-se esta segunda-feira em Braga, para recalendarizar as atividades que ficaram suspensas em virtude da pandemia.

Estiveram presentes 38 representants diocesanos num encontro presidido pelos dois coordenadores-gerais da JMJ 2023, D. Américo Aguiar (setor logístico-operativo) e D. Joaquim Mendes (área pastoral), bispos auxiliares de Lisboa. 

Inicialmente marcada para 2022 a edição da Jornada Mundial da Juventude  agenda para Lisboa foi adiada para 2023 numa decisão anunciada pelo Vaticano a 20 de abril e provocada pelo covid-19.

“Esta reunião dá sequência aos trabalhos que estão a ser desenvolvidos no âmbito de cada uma das Dioceses”, disse D. Américo Aguiar ao jornal  ‘Diário do Minho’.

O responsável referiu que as novas datas são relativas à “apresentação do hino, do logotipo e ao acolhimento dos símbolos das Jornadas em Roma”, a cruz e o ícone, que deveria ter acontecido no último Domingo de Ramos.

D. Américo Aguiar estima para o "final do verão" o anúncio do hino e um do logotipo preparados e que o acolhimento dos símbolos das Jornadas se realize por ocasião do Domingo de Cristo Rei (22 de novembro).

“Depois temos trabalhos diversos, no que diz respeito à área pastoral, seja dos subsídios de reflexão pastoral, seja na área da comunicação. Há muitos temas, nos quais vamos trabalhando, apesar de faltarem 3 anos e mais uns meses”, acrescentou.

Numa época de pandemia a organização da JMJ Lisboa 2023 pediu uma reorganização aos voluntários para estarem ao serviço dos mais necessidados.

O que nós pedimos quer ao COL quer aos diocesanos, quer  nas paróquias, arciprestados e ouvidorias, é que o coração e a atenção passasse para os irmãos e irmãs que vivem a situação da pandemia", revela o prelado.

D. Américo Aguiar deu o exemplo de muitos jovens que desviaram o seu ponto de interesse da preparação das Jornadas para muito trabalho de voluntariado" e lembrou uma ação do COL que passou pela "oferta de computadores portáteis à Cáritas", meios que estavam afetos à preparação da Jornada e que permitiu que "35 jovens, crianças e adolescentes pudessem ter equipamento para darem seguimento ao teletrabalho nas suas escolas”.

Educris|14.07.2020

Imagem: Diário do Minho

 



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades