0 / 0

Índia: Líderes católicos pedem proteção contra ataques de grupos nacionalistas

Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) denuncia ataques na região de Madanpur, e campanhas intimidatórias sobre as comunidades cristãs

Comunidades atacadas, intimidações e campanhas contra conversões religiosas; o retrato do estado de Chhattisgarh, na India onde a situação se tem vindo a deteriorar.

Diversos grupos nacionalistas têm vindo a promover campanhas contra as conversões religiosas, especialmente nas áreas habitadas pela população tribal, o que está a transformar-se numa ameaça para as comunidades cristãs locais. John Dayal, porta-voz da União Católica de toda a Índia, denunciou esta situação à Fundação AIS, afirmando que não se trata de “uma campanha isolada nem repentina e certamente que não é recente”.

Essas campanhas intimidatórias têm vindo a ocorrer em regiões florestais de Jharkhand, Orissa, Chhattisgarh e Madhya Pradesh. Também Arun Pannalal, que defende os cristãos vítimas de violência especialmente no estado de Chhattisgarh, alerta para esta situação, dizendo que “a campanha já começou” e que estão a “procurar estimular as paixões dos nacionalistas hindus”. Daí às acusações de proselitismo será um pequeno passo.

“Há uma máquina bem oleada em funcionamento”, alerta ainda Arun Pannalal.

“Dias antes de um ataque aos cristãos, começam a aparecer reportagens e notícias em jornais contra a conversão, seguidas de debates nas televisões onde nenhum cristão é convidado a defender a comunidade”, explica este responsável.

“Também as redes sociais são usadas, havendo discursos de ódio, mobilização de pessoas para manifestações contra as conversões.” E é quando o ambiente já está propício, “quando o ambiente de ódio amadurece, o ataque ocorre”, explicita.

Um ataque recente em Madanpur, em que uma cruz foi derrubada para se erguer no local um templo hindu, é um exemplo da intimidação que está a atingir as comunidades cristãs tribais. “O número de atrocidades contra os cristãos neste estado está a aumentar de forma alarmante”, observou ainda Pannalal à Fundação pontifícia.

D. Henry Thakur, Bispo de Raipur, a capital do estado de Chhattisgarh mostra-se convicto do agudizar da situação.

“Antes, tínhamos ataques esporádicos. Agora, isso acontece de forma regular, organizada e coordenada”, denuncia.

A defesa das comunidades tribais e dos ‘dalits’ ou intocáveis, os que estão na base do complexo sistema de castas da Índia, é uma realidade intrínseca à vida dos cristãos neste país. Antes de ser preso, devido ao seu trabalho de promoção dos povos indígenas e dos marginalizados, nomeadamente dos ‘dalits’ no estado de Jharkland, o padre jesuíta Stan Swamy, de 83 anos de idade, denunciava a gravidade da situação.

“Todos temos consciência que muitos activistas, advogados, escritores, jornalistas, líderes estudantis, poetas, intelectuais, e outros que defendem os direitos dos Adivasis, dos ‘dalits’ e dos marginalizados e expressam a sua discordância com as autoridades políticas do país estão debaixo de mira e a ser colocados na prisão”.

Educris|10.11.2020



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades