0 / 0

Escolas vão «abrir portas» e preparar-se para a JMJ

Assembleia geral da Associação Portuguesa de Escolas Católicas integrou duas novas instituições de ensino e apresentou plano de atividades para o próximo ano letivo.

As escolas católicas vão “apressar-se e fazer-se ao caminho” na preparação da Jornada Mundial da Juventude de 2022 que se realiza em Lisboa.

 “Temos muitos adolescentes e pré-adolescentes que nestes contextos educativos, já se preparam e querem crescer neste tema do «apressou-se e colocou-se em caminho», até por que 2022 está aí já ao virar da página. Queremos que as nossas comunidades se coloquem em caminho para aquilo que é o dinamismo que é ser testemunha do evangelho de Jesus em todos os contextos de vida”, revelou ao Educris Fernando Magalhães, presidente da Associação Portuguesa de Escolas Católicas (APEC).

As instituições de ensino católico, reunidas em assembleia geral, mostraram-se “de portas abertas” para acolher alguns dos largos milhares de peregrinos que são esperados no maior encontro mundial da juventude católica.

“As Escolas católicas, enquanto comunidades educativas acolheram efusivamente a vinda do Papa e o anúncio da JMJ no país. Estou certo de que as diferentes comunidades se vão autodeterminar como agentes muito empenhados na preparação da vinda do Papa e no acolhimento dos milhares de jovens de todo o mundo”, referiu o responsável no final do encontro.

Um dos destaques no novo plano de atividades passa pela realização da V edição da Peregrinação das Escolas Católicas a Fátima. Ainda sem data definida para 2020 o diácono Fernando Magalhães espera que este seja um momento de “mostrar identidade” numa iniciativa “que tem crescido desde a primeira edição” e que vai ajudar “a ir preparando, pouco a pouco, a presença das Escolas Católicas na JMJ de 2022”.

Educris|29.06.2019



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades