EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

JNC2020: «Família está no centro da transmissão da fé», padre Manuel Queirós (C\vídeo)

Especialista analisou novo Diretório para a Catequese e apontou “catequese familiar e intergeracional” com meios naturais para a transmissão da fé

O padre Manuel Queirós, catequeta da diocese de Vila Real., disse ontem aos catequistas que “o grande desafio da Igreja passa pela formação de cristãos com uma fé adulta”.

Na apresentação do tema «A família no Diretório para a Catequese: implicações» o especialista apresentou o “contexto social diferenciado” entre o documento da Santa Sé “escrito há 27 anos” e o que “acabou de ser aprovado em março passado”.

“O contexto de há vinte e três anos era diferenciado e o diretório de então tinha a preocupação de abordar a estrutura da catequese. Este novo diretório está centrado na cultura digital e na globalização da cultura”.

Para o padre Manuel Queirós estes dois fenómenos são responsáveis “pela alteração antropológica a que assistimos” e levam “a Igreja a estar preocupada com o rosto misericordioso de Deus”.

“Assim o diretório está perpassado pelo carácter missionário da catequese” porque a Igreja está “consciente” de que é preciso voltar “ao primeiro anúncio.

“A primeira tarefa da catequese é o anúncio do essencial da fé (o querigma). Depois centrado no essencial da fé e dialógico. Sempre em relação com a via da beleza, a arte e a narrativa”, explicitou.

Lembrando a importância e a centralidade dos “da família alargada na transmissão da fé” o padre Manuel Queirós explicou que o Diretório aponta para uma experiência abrangente m família.

“Não são apenas os pais, mas os avós, os padrinhos, e outros que tomam parte do processo da educação da fé tornando a catequese num processo ‘na’, ‘com’, ‘da’ e da ‘família’”, disse.

Para o catequeta “o contacto que se faz da fé em família passa pela informalidade que se testemunha o amor, nos valores morais e pela perceção de Deus”.

Indicações pastorais para a transmissão da fé

O Diretório para a Catequese propõe uma preparação para “os noivos”, de cariz “querigmático” e que promova “a formação catequética”.

Como segunda proposta é apresentada a ideia de “criar catequeses mistagógicas” no pós-casamento onde “o centro seja a Palavra de Deus”.

Também a “preparação dos batismos” deve ser alvo “de alterações de modo a que aí se possa fazer verdadeiro acolhimento, escuta e compreensão das motivações dos pais” propondo-lhes “um caminho adequado de despertar a fé”.

“Como ideal o Diretório apresenta a catequese intergeracional, como vivida nas comunidades cristãs mais antigas, e a catequese familiar, onde os pais assumem protagonismo”.

Aquando da apresentação mundial do Diretório para a Catequese o padre Manuel Queirós comentou o documento na rúbrica «O Diretório em Análise: Desafios e Caminhos para a Catequese».

Educris|25.10.2020






AJUDA de Navegação


© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |