EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

Viana do Castelo: Plano de formação com contributos dos catequistas

D. António Moiteiro apontou os desafios que se levantam às dioceses na formação dos catequistas

No início do Encontro Nacional de Catequese (ENC), que se realiza até ao próximo sábado na diocese de Viana, o presidente da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé (CEECDF), analisou o tema «A formação de catequistas na missão diocesana».

Perante cerca de 70 responsáveis diocesanos D. António Moiteiro começou por apresentar alguns documentos do Concilio Vaticano II que “abordam os desafios da catequese” e “apresentam as várias dimensões” do ato catequético e sustentou que “hoje a missão do catequistas é muito difícil” pois “existem múltiplos desafios que se colocam às dioceses”:

“Gostaria de reafirmar que o primeiro responsável da catequese é o bispo. Deste modo não se pode continuar a fazer catequese com métodos antigos e suportados por uma metodologia escolar que não permite o verdadeiro encontro com Jesus Cristo”.

Para o Bispo de Aveiro a catequese deve “ser uma oferta da fé viva no próprio Jesus Cristo” e por isso deve estar “no centro da preocupação dos bispos e dos padres de cada diocese”.

“Hoje precisamos de afetar à catequese os meios humanos e financeiros necessários para que a catequese seja o centro da missão da igreja”, sustentou.

Para D. António Moiteiro a formação dos catequistas hoje é “urgente” por que “não basta ter boa vontade no contexto em que hoje nos encontramos”.

“O desejável é que ninguém possa iniciar a sua missão de catequista sem uma formação sob pena de continuarmos a ter pessoas, com boa vontade, mas sem capacidade de trabalhar pedagogicamente os catecismos e que apenas replicam o modelo antigo de aprender e decorar orações e fórmulas”.

O presidente da CEECDF afirmou que cada comunidade “deve fomentar o aparecimento de catequistas nas paróquias” e estimou em cerca de “60 mil os catequistas em todo o país”.

“Precisamos urgentemente de um ministério instituído de catequista pois hoje faz sentido, nas maiores paróquias, catequistas a tempo inteiro e uma maior ligação aos restantes agentes paroquiais”.

Novo plano de formação de Catequistas com contributos dos catequistas

No final da sua preleção, e perante os responsáveis diocesanos, D. António Moiteiro revelou que “está pronto o plano de formação para catequistas” e que se estão a “analisar os vários temos na CEECDF”.

O prelado sustentou que “o novo plano deve contar com a contribuição de todos os catequistas” reforçando o “sentido de eclesialidade”:

“Queremos lançar o plano de formação em versão experimental durante um ano e pedir aos catequistas contributos para a edição final”.

Educris|11.04.2019



Recursos:
Áudio: A Formação de catequistas na missão diocesana:
Áudio: A Formação de catequistas na missão diocesana

Ouça e leve consigo o áudio da conferência «A Formação de catequistas na missão diocesana» proferida por D. António Moiteiro no Encontro Nacional de Catequese 2019.






AJUDA de Navegação


© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |