CEI/Budapeste: «O que viram naquele dia era algo maior do que aquele momento»

Todos dos dias o padre Pedro Manuel, da Diocese do Algarve apresenta, aos leitores do site da Educação Cristã (EDUCRIS), um resumo dos trabalhos do Congresso Eucarístico Internacional, que decorre em Budapeste, em chave catequética

A festa das famílias foi o acontecimento da manhã. Todos convergimos para a ilha Margarida que vai buscar o nome a “Santa Margarida da Hungria”. Os participantes do CEI 2020 peregrinaram até lá para viverem um momento de encontro livre, alegre e aberto à cidade. Os mais pequenos tinham os seus jogos, os mais velhos os seus passatempos e todos um lugar e uma oportunidade para apreciarem a beleza das mais distintas formas de consagração. Arrisco a dizer que todo o mundo católico ali estava. Passamos pela feira das vocações que era especialmente uma feira eclesiástica com tendas e alegria musical, com as vocações e a beleza de testemunho crente! Como foi bom estar ali.

Nesse contexto fomos visitar as ruínas do convento dominicano e apreciamos a envolvência na beleza do que o Criador ali deixou plantado em pleno Danúbio.

A beleza da igreja estava ali nos de dentro e de fora, de cá e de lá… nos conhecidos e nos anónimos, naquele mosaico estávamos todos e todos porque somos de Jesus porque “todas as nossas fontes estão n’Ele” (Sl 87, 7).

A parte da tarde levou-nos à “praça Kossuth” junto ao Parlamento Húngaro para a Santa Missa e Procissão Eucarística.

Antes da missa tivemos a possibilidade de ouvir o Patriarca Ecuménico de Constantinopla, Sua Beatitude Bartolomeu I. Manifestou uma grande alegria por estar connosco. Afirmou que a Eucaristia é a manifestação da grandeza do Senhor - Dom precioso de Deus criador. Gratidão e doxologia - o grande serviço a Deus. A vida do mundo precisa de ser transformado por nós para retornar a Deus em acção de graças e esse mistério é uma completa alegria. A Eucaristia contém em si toda a criação. Os dons serão transformados em mistério de comunhão. E por isso, não podemos separar a comunhão, da nossa vida no mundo. “Devemos viver eucaristicamente no mundo: presença e actos serão a liturgia após a liturgia”.

A participação na Eucaristia é um meio excelente de missionação: partilhar os dons de Deus com toda a humanidade que não nos pode ser indiferente mas lugar onde manifestamos a alegria e a esperança diante do criado. Somos chamados a ser verdadeira “Luz do mundo” (Mt 5, 14). Um cristão fechado é uma luz debaixo da mesa… “Nada é mais católico que a Eucaristia”… Nela tudo se coloca: a existência humana e a vida da inteira criação.

“Somos uma comunidade de amor que espera o escatológico Reino de Deus”. Queremos tornar-nos, pelo mistério da comunhão, seres relacionais. “O mundo não será salvo sem a ajuda da igreja e sem se tornar Igreja. Se Cristo é o único salvador do mundo é porque ele é a Igreja”.

“O cristianismo pode transformar a sociedade, a começar pela ecologia e pelos direitos humanos. A verdadeira vida da igreja é uma escola de ecologia e de social responsabilidade. Cristo é o Alga e o Ómega por isso a igreja vai permanecer porque santifica e se santifica pela vida e pelo serviço”…

A existência na realização eucarística deve levar-nos a uma unidade perfeita de vivência entre cristãos. Não pode continuar a ter lugar a divisão. Os cristãos em todo o lado são chamados a olhar o seu passado comum que os faz caminhar juntos no mesmo Cristo, não se podem entender separados porque são muitos e mais os caminhos em que caminhamos juntos do que separados… somos irmãos siameses”.

Como resolvemos isto? - A igreja foi fundada para celebrar a Eucaristia.

Neste contexto final o cardeal Peter Erdô dirigiu-lhe umas palavras de gratidão e entregou-lhe um símbolo do Congresso Eucarístico Internacional agradecendo a sua presença.

De seguida celebramos o mistério admirável da Eucaristia. Nela o arcebispo de Budapeste alegrou-se muito pela celebração desta tarde. Agradeceu a presença do Patriarca Bartolomeu I. “Em 1038 o Cristianismo oriental e ocidental estava unido tal como Jesus pediu… Hoje o mundo precisa de um testemunho de um cristianismo unido”. No Evangelho escutámos que estava Maria e o discípulo amado, João estavam junto à cruz de Jesus. Na sua pessoa está toda a igreja por isso respeitamos e invocamos Maria como mãe da Igreja. Todos os povos precisam do patrocínio de Nossa Senhora. Hungria e Cristianismo vão juntos pelo caminho da história, sempre renovados mesmo em situações em que já não havia esperança humana”.

A cruz missionária está aqui! Como podemos fazer visível a nossa esperança cristã? - Esta cruz foi escolhida por isso - santos e beatos húngaros estão lá nas suas relíquias, e foram integradas as relíquias dos recentes mártires húngaros e das regiões vizinhas porque são os santos que nos mostram como podemos levar a presença de Cristo em diferentes circunstâncias. A cruz percorreu a cidade, o país e os países vizinhos. Devemos aprender do exemplo dos santos”!

O impacto do encontro com Cristo nas nossas vidas é manifestado por todos aqueles que fazem da sua Fé a melhor forma de testemunho como ouvimos e nos apercebemos ao longo do último dia! Não é casualidade que os testemunhos tenham tido um papel tão importante no CEI. E nós? O que devemos fazer?

“Temos oportunidades concretas para actuar. Tantos se juntam para celebrar este encontro e amor nos diversos serviços… voluntários, acólitos… tantos disponíveis.

Porquê tudo isto? Porque os nossos antepassados estiveram com Jesus de Nazaré em Jerusalém, comeram com Ele e Ele deixou a recomendação: “comei, bebei, fazei isto em memória de mim” (Lc 22, 19). Era algo maior do que aquele momento. Este evento deveria ser repetido porque era maior do que os outros. Por isso proclamamos o milagre da presença do Senhor e pedimos hoje, uma vez mais, a Sua bênção.

Terminada a Eucaristia, em procissão eucarística, caminhamos até à “Praça dos Heróis onde amanhã encontraremos o Santo Padre para a celebração da Eucaristia. Que magnífica manifestação de Fé. É digna de registo esta tarde.

Realmente, este foi um dia de festa que nos preparou para a festa do encontro com o Santo Padre que será amanhã e será excelente porque é de Deus por vontade de Jesus, na força do Espírito Santo e com a bênção de Maria.

Padre Pedro Manuel, delegado da Diocese do Algarve ao CEI - Budapeste 2020 (em 2021)

Educris|12.09.2021

O padre Pedro Manuel escreve com a grafia anterior ao acordo ortográfico



AJUDA de Navegação


© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |