EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

Fátima: “O desafio de ser minoria qualificada e qualificadora”

“Criar uma minoria qualificada e qualificadora” é o grande desafio da educação católica na pós-modernidade. A ideia, transmitida esta manhã aos mais de 630 docentes das Escolas Católicas de todo o país, pelo padre José Frazão, SJ representa “o esforço da Igreja nesta área numa sociedade secularizada”.

Na conferência “A radicalidade de um projeto educativo de matriz católica – o desafio de ser grão de mostarda” o provincial da Companhia de Jesus em Portugal alertou para o perigo de se cair “em guetos educativos” e as escolas católicas não se mostrarem à altura do desafio de “ser fermento na massa”.

Na sua reflexão o padre José Frazão, SJ começou por afirmar que o desafio é “formar uma minoria qualificada transformada pelo evangelho e capacitada nas diversas áreas do conhecimento” sob pena de “nada ter a dizer no espaço publico aberto”.

Numa escola cada vez “mais plural” a Escola católica deve destacar-se pela “capacidade de olhar a totalidade do ser humano. Há nossa frente não temos cabeças mas vidas e pessoas. Vidas orgânicas e não apenas cabeças”. Deste modo é fundamental que eduque para a liberdade e a autonomia” e fugir do perigo da “endoutrinação” de modo a poder “gerar pessoas críticas para além do momento. Uma escola de matriz cristã não pode ausentar-se deste desejo", afirmou.

Não pretendendo minorar as “expressões de pertença religiosa” o provincial da Companhia de Jesus afirmou a ideia de que estas, por si só, não se constituem como “marcas da escola cristã”.

“O ser cristão é ser agente de transformação da realidade, dentro da realidade, com a força do evangelho”. Neste sentido “a educação deve procurar ser integral provocando a transformação de vidas reais para que elas possam ser agentes de mudança”.

Tomando o mistério da encarnação de Jesus o padre José Frazão convidou os presentes a pressentirem que “Deus só enviou o seu filho porque tem apreço pelo mundo”. Assim “ato de evangelizar pede-nos empatia pelo tempo presente que nos permite ter um olhar profético de transformação das formas de corrupção do mundo”.

“Cabe-nos o estar livres, empáticos e comprometidos com a transformação do mundo que é feita a partir de dentro da sociedade”.

Assista a toda a conferência do provincial da Companhia de Jesus e ouça os desafios lançados para o futuro das Escolas Católicas em Portugal.



Recursos:
"A radicalidade de um projeto educativo de matriz católica - o desafio de ser grão de mostarda, por pe. José Frazão, SJ:



© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |