0 / 0

Política: Papa pede «atenção aos que não tem voz» ao novo presidente dos EUA

Na mensagem para a «inauguração» de Joe Biden como novo presidente norte-americano Francisco evoca os «valores políticos, éticos e religiosos que inspiraram a nação»

O Papa enviou hoje uma mensagem ao novo presidente dos EUA, Joe Biden pedindo-lhe atenção aos pobres e aos que “não têm voz” na sociedade norte-americana.

“Neste momento em que graves crises enfrentadas pela nossa família humana pedem respostas unidas e de longo alcance, rezo para as que suas decisões sejam guiadas por uma preocupação pela construção de uma sociedade marcada pela autêntica justiça e liberdade, ao lado do incansável respeito pelos direitos e dignidade de cada pessoa, especialmente dos pobres, dos vulneráveis e daqueles que não tem voz”, escreve Francisco na mensagem divulgada pelo Vaticano.

Ao novo presidente, o 46º na história dos Estados Unidos da América, Francisco expressa o desejo de que Deus “lhe conceda a sabedoria e a fortaleza no exercício do seu cargo”.

“Sob a sua liderança, que o povo americano continue a encontrar força nos elevados valores políticos, éticos e religiosos que inspiraram a nação desde a sua fundação. Também peço a Deus, a fonte de toda sabedoria e verdade, que guie os seus esforços para promover a compreensão, a reconciliação e a paz dentro dos Estados Unidos e entre as nações do mundo, a fim de promover o bem comum universal”, pede o Papa.

No final o Papa concede a sua bênção a Joe Biden, sua família e ao “querido povo norte-americano”.

O novo presidente americano tomou hoje posse na capital administrativa do país, Washington, jurando sobre uma Biblia da sua própria família do século XIX. No seu discurso inaugural citou a obra «A Cidade de Deus», de Santo Agostinho, que considera um povo como um conjunto de pessoas unidas “pelos objetos comuns do seu amor” e interrogou os presentes sobre quais os objetos comum da nação norte americana.

Durante o seu discurso Biden pediu um momento “de oração silenciosa” pelos 400 mil americanos que morreram no país vítimas do Covid-19.

Educris|20.01.2021



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades