0 / 0

Papa assinala Dia Mundial contra a Escravidão Infantil

Francisco denúncia exploração de menores no mundo.

O Papa Francisco assinalou hoje, na sua conta da rede social Twitter, o Dia Mundial contra a Escravidão Infantil:

"Quem cuida dos pequenos está do lado de Deus e vence a cultura do descarte. Libertemos as crianças de todas as formas de exploração", tuitou o Papa Francisco no dia em que se recorda o assassinato de Igbal Masih, um menor de 12 anos, às mãos de uma rede criminosa do Paquistão, por ter denunciado a exploração de menores nas fábricas têxteis do país.

De acordo com a OIT (Organização Mundial do Trabalho) estima-se que cerca de 152 milhões de crianças sejam submetidas a trabalho infantil ou escravo em todo o mundo.

Na Audiência de 12 de junho de 2013, Papa Francisco recordava o direito das crianças a uma infância "serena" que permita olhar com confiança o futuro:

"Todas as crianças devem poder brincar, estudar, rezar e crescer, no seio das respetivas famílias, e isto num contexto harmonioso, de amor e de tranquilidade. Trata-se de um direito e de um dever dos adultos. No entanto, em vez de as fazer brincar, muitas pessoas transformam-nas em escravos: este é um flagelo! Uma infância tranquila permite às crianças olhar com confiança para a vida e para o futuro. Ai de quantos sufocam nelas o impulso alegre da esperança!", afirmou na ocasião.

 

O Papa Francisco tem, desde o início do seu Pontificado, denunciado os que exploram, de qualquer modo, os mais novos lembrando que tais pessoas "não tem o amor de Deus no coração" e que terão que "prestar contas a Deus":

"Vocês pensam que as pessoas que vivem do trabalho escravo, que exploram os outros, têm o amor de Deus no coração? [...] Não, eles não têm temor de Deus e não são felizes. Não o são. Que o temor de Deus os leve a compreender que um dia tudo acaba e que deverão prestar contas a Deus", afirmou na Audiência-Geral de 11 junho de 2014.

Educris|16.04.2018



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades