0 / 0

Papa Francisco: A fé nasce de uma oração corajosa e perseverante

Na manhã desta sexta-feira o Papa Francisco apresentou a oração e a perseverança como caminhos para uma fé capaz de oter as graças de Deus.

Na sua homilia, durante a missa a que presidiu na capela da casa de Santa Marta, no Vaticano, o Papa iniciou a sua relfexão com uma questão?

"Como é a oração no Evangelho daqueles que conseguem obter do Senhor aquilo que pedem?"

Tomando o trecho do evangelho do dia onde se narram as curas de um leproso e do paralitíco, o Papa recordou que ambos "rezam para obter a cura" e os dois "fazem-no com fé":

"Sempre, quando nos aproximamos do Senhor para pedir algo, devemos artir da fé e fazê-lo na fé: 'Eu tenho fé que tu podes cura-me, eu creio que tu podes fazer isto' e ter a coragem de desafiá-lo, como este leproso de ontem, este homem de hoje, este paralítico de hoje. A oração na fé", apontou.

Para o Papa Francisco é fundamental não embarcar numa lógica de "papagaios" que repetem "sem interesse" umas tantas orações que memorizámos em infância.

Neste ponto alertou para a necessidade de "nos interrrogarmos sobre o nosso modo de orar" e convidou os fiéis a oralhem o modo como o paralítico não só acreditava e rezava como perseverava com a coragem de encontrar uma solução para o seu problema, um modo de chegar perto de Jesus:

"Coragem para lutar e chegar ao Senhor. Coragem para ter fé, no início: «Se tu queres, tens o poder de curar-me. Se tu quiseres, eu creio». E coragem para me aproximar do Senhor, quando existem tantas dificuldades. Aquela coragem… Muitas vezes, é preciso paciência e saber esperar os tempos, mas não desistir, ir sempre em frente. Mas se eu com fé me aproximo do Senhor e digo: «Mas se queres, podes dar-me esta graça»... coragem. 

Francisco lembrou a "coragem de tantos santos" que "choraram e desafiaram o Senhor" pedindo graças diversas:

"Lembro-me de Santa Mónica, mãe de Agostinho, que rezou e chorou muito pela conversão do seu filho e conseguiu obtê-la. Tantos Santos que tiveram grande coragem na sua fé. Coragem para 'desafiar' o Senhor, coragem para acreditar, mesmo que não se obtenha logo o que se pede, porque se a oração não é corajosa, não é cristã", reforçou.

Educris com Vaticannews






Newsletter Educris

Receba as nossas novidades