0 / 0

Vaticano: Papa volta a chamar de "ferida" a vida dupla dos pastores

"Comoção, proximidade e coerência", as três características de onde procede a autoridade do verdadeiro pastor, afirmou, esta manhã  o Papa Francisco.

Na sua homilia, proferida na eucaristia matutina na casa de Santa Marta, no Vaticano, o Papa pediu "proximidade e coerência" aos pastores apontando a "vida dupla" como uma "ferida na Igreja":

"A vida dupla. É feio ver pastores com vida dupla: é uma ferida na Igreja. Os pastores doentes, que perderam a autoridade e seguem em frente com esta vida dupla. Existem tantas maneiras para levar em frente esta vida dupla: mas é dupla, não?", lamentou.

Ao comentar o trecho do Evangelho do dia, onde se afirma que Jesus «ensinava como quem tinha autoridade», o Papa explicou que o dom da autoridade de Jesus advinha da sua proximidade perante as pessoas:

"O ensinamento de Jesus provoca admiração, movimento no coração porque Ele se aproximava das pessoas, estava estava próximo, entendia, acolhia, curava e ensinava com proximidade".

Para o Papa "aquilo que dá autoridade a um pastor ou desperta a autoridade que é dada pelo Pai é a proximidade: proximidade a Deus na oração – um pastor que não reza, um pastor que não busca a Deus perdeu a proximidade às pessoas. O pastor distante das pessoas não chega a elas com a mensagem. Proximidade, esta dupla proximidade. Esta é a unção do pastor que se comove diante do dom de Deus na oração, e se pode comover diante dos pecados, do problema, das doenças das pessoas", apontou.

No final da sua homilia Francisco convidou os pastores a "não perderem a esperança" porque para Deus "existe sempre a possibilidade", desde que "estejamos arrependidos e nos dirijamos a Jesus".

Educris 09.01.2018

 

 



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades