0 / 0

Papa Francisco: «Os 'rígidos' de coração não entendem a misericórdia»

"Os teimosos de alma, rígidos, não entendem o que é a misericórdia de Deus", disse, esta manhã o Papa Francisco.

Na sua homilia, no decorrer da eucaristia matinal na Casa de Santa Marta, no Vaticano, o Papa tomou para meditação, um trecho retirado do livro de Jonas onde se mostra como "a misericórdia de Deus abre os nossos corações, saindo vitoriosa":

"Jonas aparece, neste texto, como um um teimoso que queria ensinar a Deus como se fazem as coisas", recordou o Papa.

Na leitura Deus pede a Jonas que visite Nínive e a converta. O profeta "foge, recusa fazê-lo, e, quando finalmente o faz fica indignado e enraivecido diante do perdão que o Senhor concede às pessoas que abriram o coração e se mostraram arrependidas".

Para Francisco o coração de Jonas "era um “teimoso, intransigente”, tinha a alma “rígida”:

"Os teimosos de alma, rígidos, não entendem o que é a misericórdia de Deus. São como Jonas: ‘Devemos pregar isto, estes devem ser punidos porque fizeram o mal e que vão para o inferno...’. Os rígidos não sabem abrir o coração como o Senhor. Os rígidos são cobardes, têm um coração fechado, apegados à justiça pura. E esquecem-se que a justiça de Deus se fez carne através do seu filho; fez-se misericórdia, fez-se perdão; que o coração de Deus está sempre aberto ao perdão", sustentou.

No final da sua homilia o Papa Francisco lembrou que "não é fácil entender a misericórdia de Deus" e que é preciso "tanta oração para compreendê-la" porque esta compreensão é "uma graça".

"Esta é a mensagem deste livro profético. Um diálogo entre a profecia, a penitência, a misericórdia e a cobardia, ou teimosia, onde vence sempre a misericórdia de Deus, porque a sua omnipotência se manifesta precisamente na misericórdia".

Educris|10.10.2017

Educris com Osservatore Romano



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades