0 / 0

«Precisamos de uma escola de virtudes», padre Carlos Carneiro, SJ

Diretor geral do Colégio das Caldinhas propôs uma mudança de paradigma que garanta a identidade das instituições de ensino católica perante os desafios atuais

O padre Carlos Carneiro, SJ afirmou hoje, aos capelães e membros da pastoral das escolas Católicas que “é preciso abandonarmos o paradigma dos valores e procurarmos o paradigma das virtudes” de modo a poder “agir e não reagir” perante as mudanças sentidas na atualidade.

“Somos chamados a ‘um outro campeonato’ que não o da pura resignação ou do protesto. Uma escola Católica só pode ser algo que aponte para a formação de uma nova consciência. A razão pela qual estamos ali não é porque ‘isto está mal, o mundo está perdido’. A nossa causa não é apenas de necessidade nem de carência, mas de um olhar que nasce da realidade no seu todo”, apontou.

Para o também diretor geral do Colégio das Caldinhas, em Santo Tirso, o específico do ensino católico não assenta na “simples transmissão de valores”, mas num paradigma que leva o alunos a “olhar a realidade a partir de um olhar crente”.

“Educamos a partir de um olhar crente. O Olhar que o próprio Deus tem sobre a realidade”, apontou.

Perante um conjunto de “mutações presentes no mundo atual” o padre Carlos Carneiro desafiou os presentes a “um novo olhar” que não se coaduna “com o fatalismo mesmo em tempos adversos”, mas que procura “não se desviar do essencial do evangelho”.

“Não queremos ser um estado dentro do estado. Queremos ter um olhar perante a realidade. Sem medo e sem vergonha. Muitos quereriam que não fossemos geograficamente encontráveis. Somo-lo. Não podemos não dar o nosso contributo à realidade, à cultura e à civilização. Este olhar é determinante para o ambiente das nossas escolas. O olhar crente é fundamental para o modo como estamos neste mundo”, considerou.

Escola: Um lugar onde se exercitam virtudes

Numa sociedade onde a educação já “assimilou o ensino dos valores” as escolas católicas devem ser, “mais do que arautos de todas as inovações que lhe permitam a subsistência financeira”, lugares “onde se exercitam as virtudes”.

“O hoje exige-nos que passemos de uma educação de valores para, com Cristo, chegar a uma educação de virtudes. Esta é não apenas teoria, mas prática. Tal como temos laboratórios nas escolas para as ciências naturais temos que criar laboratórios de virtude. Lugares de exercício de experiências do espiritual, do religioso e da experiência humana. Lugares onde se treina e onde se praticam as virtudes”.

Num tempo que “se vive uma espiritualidade sem fé” o jesuíta considerou essencial que as instituições de ensino católico ultrapassem o paradigma da formação “para os valores e abracem o das virtudes a partir dos valores de Cristo”.

“Parece-me, muitas vezes, abdicámos disto. Educamos para a cidadania, a solidariedade, a justiça, a verdade. Para nós não nos chega uma qualquer verdade. Mais do que a educação de valores temos que apresentar Jesus”.

Formar consciências: Um dom de gratuidade, um lugar de discernimento

No final da sua conferência o padre Carlos Carneiro convidou os presentes a tornarem o novo paradigma “uma realidade em todas as dimensões da escola” de modo a que “se cumpra o objetivo da escola católica que passa por formar consciências que atuem e melhorem a realidade”.

“O ‘ser católico’ tem a ver com os salários com que pago, por exemplo. Ao longo dos anos milhares foram os alunos que estudaram nas nossas escolas. O que os distingue dos restantes?”, questionou.

Deste modo é fundamental ajudar a estabelecer critérios “para que possa agir de maneira cristã e não mude a realidade, mas a transforme”.

O futuro da Escola Católica “exige laboratórios de virtudes e uma reflexão sobre a Liberdade. A Igreja precisa de se reconciliar com isto.”

“Nenhuma escola católica tem futuro, sob o ponto de vista da identidade, e não da viabilidade económica – esse não deve ser o determinante – se tiver penas um excelente projeto, que até é muito aceite, mas mais do que um projeto nós aventuramo-nos a desembrulhar um processo que nos leva a um projeto”, finalizou.

Educris|17.01.2020



Recursos:
«Desafios à identidade da escola católica num contexto secularizado e multicultural»:
«Desafios à identidade da escola católica num contexto secularizado e multicultural»

Ouça e leve consigo o áudio da conferência «Desafios à identidade da escola católica num contexto secularizado e multicultural» proferida pelo padre Carlos Carneiro, SJ às Escolas Católicas a 17 de janeiro de 2020.

 



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades