0 / 0

Guarda/Taizé: Alunos fazem a experiência da alegria

33 alunos da diocese da Guarda, e 8 da Azambuja, no Patriarcado de Lisboa, fizeram experiência da "alegria que nunca acaba" na comunidade ecuménica de Taizé, França, durante as férias escolares

No total foram 43 o número de portugueses da diocese da Guarda presentes na colina da comunidade ecuménica francesa. Nove professores juntaram-se a 33 alunos de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) para viverem, durante uma semana, à maneira dos cerca de 70 irmãos que habitam esta pequena aldeia do sul da Borgonha.

Entre os jovens o Bispo da Guarda, D. Manuel Felício, partilhou o dia a dia dos mais novos e lembrou Taizé como uma oportunidade de conhecer uma realidade "diversa e de verdadeiramente de comunhão" numa "parábola de comunhão para toda a humanidade".

Ao Educris Cristina Brito, do departamento da EMRC da diocese da Guarda justificou as razões da experiência:

"A vocação da comunidade de Taizé é procurar caminhos de reconciliação entre os cristãos e na família humana, valorizando sempre aquilo que nos une e não o que nos pode separar".

"No ano em que se vive o Sínodo sobre «Os Jovens, a Fé e o discernimento vocacional» esta iniciativa, procurou reforçar a importância do acompanhamento que é necessário fazer aos nossos jovens, de modo a que os mesmos possam, através da experiência de uma vida simples e partilhada com os outros, encontrar uma nova perspetiva sobre os valores que devem pautar um projeto de vida feliz", afirmou a responsável.

Para Maria João Tavares, aluna de EMRC no Fundão "viver uma semana em Taizé é viver novas experiências e novas aventuras. Taizé é um lugar fenomenal, onde pude chorar, rir, cantar, mas sobretudo ser eu mesma, onde conheci pessoas incríveis com outros percursos de vida e onde fiz amizades para durar uma vida inteira. Taizé é um sítio onde um olá ou um sorriso diz tudo, onde se podem conhecer pessoas de outros países e de outras culturas…  Taizé é uma experiência a repetir durante muitos anos".

Pela terceira vez em Taizé Filipe Loureiro mostrou-se ainda "surpreendido" por ter podido ainda mais descobriri "alguma coisa sobre mim, sobre Deus e sobre os outros. Uma semana é pouco tempo para me sentir verdadeiramente completo", revelou.

Carolina, aluna de EMRC da Covilhã, afirmou a experiência como "incrível" e disse ter sido oportunidade para se reaproximar de Deus":

"Não existem palavras suficientes para descrever esta incrível experiência. Tive a possibilidade de me reaproximar de Deus e senti-me confortada pelo seu abraço invisível.  A experiência de Taizé, permitiu-me conhecer que, na simplicidade, podemos encontrar a felicidade e que, com um sorriso contagiante, podemos construir um mundo melhor".

Educris



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades