Homilia: «O Espírito é o primeiro catequista», D. António Moiteiro (C/Áudio)

Bispo de Aveiro pediu aos catequistas “confiança no Espírito Santo” na missão de transmitir a fé

Na homilia, da eucaristia a que presidiu no final do primeiro dia das Jornadas Nacionais de Catequistas 2019, D. António Moiteiro, pediu aos catequistas para “não desanimarem” na missão catequética pois “é o Espírito o primeiro catequista” e é Ele “que queremos que trabalhe em nós e nos catequizandos”.

Tomando, para meditação, o excerto da carta aos Romanos em que o Apóstolo se interroga por que faz o bem em vez do mal, o prelado atualizou o dilema de São Paulo e colocou-o na atualidade dos catequistas:

“Quantas vezes não conseguimos fazer o bem que queremos? Quantas vezes não conseguimos que as crianças estejam atentas e a fazer o encontro com Jesus?”, questionou.

Para o prelado o catequista, “no meio dos seus afazeres e trabalhos, das suas fraquezas e fracassos” deve colocar a sua certeza na ação do “Espírito que é o primeiro catequista”.

“É o Espírito que queremos ver a trabalhar em nós e nos catequizandos. Cabe-nos dar graças a Deus, por Jesus Cristo seu Filho, para que o Espírito abra o coração a esta mesma Palavra que sabemos que é uma Pessoa”.

D. António Moiteiro lembrou que “nós, os catequistas, não somos mais do que aquela pequena semente do evangelho. Só com a força do Espírito poderemos ser árvore frondosa e ajudar a crescer, também, aqueles que nos são confiados”.

As Jornadas Nacionais de Catequistas 2019 reúnem, até ao próximo domingo em Fátima, mais de 700 catequistas de todo o país num programa subordinado ao tema «Uma Catequese Inovadora».

Educris|25.10.2019






Newsletter Educris

Receba as nossas novidades