0 / 0

A EMRC em tempo de (des)confinamento», António Cordeiro

António Cordeiro, coordenador do Departamento de EMRC no SNEC ,reflete sobre o trabalho desenvolvido nesta época e os deafios e estratégias delineadas para a época de (des)confinamento

 

A experiência de confinamento aproximou-nos de um despertar da consciência para a fragilidade da vida de cada um e de todos, potenciando o seu cuidado e fazendo emergir uma verdade muito enraizada nos mistérios da fé cristã e evocada na semana da vida, a de que somos humanizados pela nossa fragilidade, digna de ser assumida pela divindade para nos ascender à plenitude de vida.

Entre muitas outras, podemos escolher três palavras para traduzir as mudanças e experiências positivas deste tempo: cuidado, gratuidade e criatividade. São espelho de uma humanidade reencontrada e reinventada a partir da sua fragilidade. E são elas que foram permanecendo subjacentes a todo um trabalho desenvolvido ao longo destes últimos dois meses, tão longos porque confinados, mas tão profundos porque refrescados pela força dos mistérios pascais celebrados.

Recuando ao dia 18 de março, importa relembrar que, decretado o Estado de Emergência Nacional decorrente da pandemia pela Covd-19, o Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC), enquanto órgão executivo da Comissão Episcopal da Educação e Doutrina da Fé, promoveu um diálogo de proximidade e acompanhamento a dois níveis: o primeiro, com os serviços do Ministério da Educação aos quais manifestou a sua disponibilidade para colaborar e participar nas respostas adequadas ao acompanhamento dos alunos para consolidação das suas aprendizagens através dos meios próprios de um ensino à distância (E@D); o segundo, com os responsáveis dos secretariados diocesanos com a colaboração da equipa nacional de apoio à EMRC. Deste diálogo nasceu um plano de trabalho concretizado por esta equipa e tendo por objetivos contribuir eficaz e eficientemente para o apoio aos decentes de EMRC no seu trabalho com os alunos, por um lado, e promover dinâmicas de serviço e comunhão, por outro.

Foram recuperados e disponibilizados 127 recursos para todos os ciclos do ensino básico, no site de apoio às escolas da Direção Geral de Educação (DGE) e no site EDUCRIS. Realizaram-se formações on-line orientadas por e para docentes de EMRC sobre plataformas de ensino à distância e sobre a planificação de estratégias de acompanhamento dos alunos no âmbito da EMRC, com a participação de docentes da quase totalidade das dioceses. Disponibilizaram-se unidades letivas em formato pdf.

A pensar no período de renovação de matrículas, quis o SNEC reforçar os habituais materiais físicos distribuídos às dioceses e definiu uma estratégia de comunicação e sensibilização sobre e para a disciplina de EMRC, que passou pela participação em 3 programas da Ecclesia, na rubrica Fé dos Homens da RTP2, com o testemunho de 3 docentes, 12 alunos e 7 encarregados de educação de diferentes dioceses e, foram ainda, realizados 4 vídeos motivacionais com a colaboração e participação de docentes e alunos de todas as dioceses.

O SNEC, com a participação da equipa nacional de apoio à EMRC, tem vindo a colaborar com a DGE na apreciação e validação de recursos elaborados e disponibilizados por docentes de EMRC para o canal do youtube do #EstudoEmCasa. Finalmente, sublinha-se que, com a colaboração de alguns docentes de EMRC, foram concebidos e realizados 10 vídeos sobre alguns conteúdos programáticos de todos os ciclos e níveis de ensino, com maior incidência nas últimas unidades letivas de cada ano. Estão ainda em curso 2 vídeos a disponibilizar oportunamente. Estes vídeos brevemente constarão no canal youtube do #EstudoEmCasa da DGE, garantindo-se, pois, a presença e contributo da disciplina de EMRC em quatro dos cinco canais criados para o reforço das aprendizagens dos alunos em contexto de E@D. Sabemos que está próximo o término do terceiro período, pelo que serão os docentes quem melhor saberá decidir sobre a sua utilização didáctica ainda neste ou no próximo ano letivo.

O SNEC é conhecedor e reconhece que as exigências da readaptação dos professores a esta modalidade de ensino têm sido intensas e laboriosas. E sabe que, nestas circunstâncias, o contributo da disciplina na educação de crianças, adolescentes e jovens permitiu-lhes uma mais aprofundada compreensão do valor da vida, da pessoa, da família, do cuidado, da solidariedade, do sacrifício pelo bem maior. Neste esforço conjunto houve comunhão, sinodalidade, motivação e esperança. Os sinais persistem em reafirmar que este caminho conta com a colaboração de todos e de cada um para melhor enfrentarmos as pandemias da indiferença, comodismo e resignação e promovermos verdadeiros antídotos de promoção da vida, da solidariedade, da cooperação, da criatividade, do sonho e da alegria de servir com arte a educação dos que nos são confiados.

Aos alunos fica uma palavra de estímulo para que olhem para horizontes bem altos de realização pessoal. O confinamento limita o movimento e a ação, mas não limita o pensamento e o sonho de ser mais e melhor. A EMRC desafia cada um de vocês a optar, a permanecer e a construir um projeto de vida pessoal e um mundo com sentido. O encontro é uma das palavras de eleição desta disciplina. Como foi difícil para ti, para todos termos de cancelar os significativos e tão participados encontros nacionais! Colaboremos todos para que seja possível reencontramo-nos no próximo ano. Vem e vê!

Aos pais e encarregados de educação uma palavra de reconhecimento pela confiança depositada no acompanhamento e educação dos seus filhos. Uma formação integral e completa da pessoa está envolvida pelo transcendente, por uma visão religiosa da vida. Nela e na realização plena da pessoa está concentrado o programa e trabalho da disciplina de EMRC. Contem connosco!

Aos docentes de EMRC uma palavra fraterna de gratidão pelo serviço e dedicação a esta missão. Somos navegantes da mesma Barca. Rememos no mesmo sentido e com esperança. Vamos confiantes!

 Educris|25.05.2020

 



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades