JNC19: «É preciso apresentar a Palavra de Deus às crianças», padre Paulo Malícia

Catequeta português destacou a “importância e centralidade” da Palavra de Deus no caminho da fé na infância.

“Temos de contar as histórias da Bíblia aos mais novos, sem medos nem receios, por que os mais novos são capazes de entender e de fazer vida do texto bíblico. É vital recuperar a leitura e a escuta da Palavra de Deus na catequese”, afirmou ontem o padre Paulo Malícia, catequeta do Patriarcado de Lisboa.

Numa conferência subordinada a tema «A Palavra de Deus contada às crianças», o sacerdote desafiou os catequistas a recolocarem “a Bíblia no centro do ato catequético pois a Bíblia não é um subsídio da catequese, mas a alma da própria catequese”.

Em dia de homenagem a Monsenhor Amílcar do Amaral, primeiro diretor nacional do Secretariado da Catequese, o sacerdote destacou a importância da Palavra de Deus nos primeiros catecismos e convidou os presentes a “relerem aqueles catecismos da década de cinquenta do século passado” e a “compararem aquela realidade com o Youcat”, procurando “descobrir as diferenças”.

Na sua reflexão o catequeta de Lisboa explicou que a “criança é capaz de entender a Palavra de Deus desde tenra idade” e que cabe ao catequista ser “mediador entre a criança e a Palavra”.

“O ‘como fazer’ é o mais fácil pois hoje temos muitos subsídios que nos ajudam a perceber o modo como a Bíblia entra no ato catequético. Temos ilustrações, teatralizações e narrativas. O que precisamos, como catequistas, é de saber o ‘porquê’ de levarmos a Bíblia para a catequese pois a Bíblia é a primeira linguagem da fé”, apontou.

Criticando um “certo modo de fazer catequese que marginaliza a Palavra de Deus” o padre Paulo Malicia desafiou os catequistas a “recolocarem a Bíblia no centro do ato catequético” sob pena “de, em contrário, a fé não o ser e passar a ser mais uma qualquer fezada”.

Numa altura em que se questiona o “porquê” de tantos “abandonarem ou nem sequer iniciarem o percurso catequético” o catequeta considerou que este afastamento nasce da “incapacidade que temos revelado, mesmo socialmente, de olhar o Humano para lá do visível.”

“Vejamos o problema que hoje tem os professores de português para ensinar figuras de estilo ou poesia. Este problema é o que muitas vezes assistimos na catequese. Não podemos deixar de ajudar a ‘lê’ o texto Bíblico como o lugar e o modo como Deus se quis manifestar ao ser humano”.

O padre Paulo recordou que “numa civilização de matriz judaico-cristã” a “centralidade da Palavra de Deus” está “em toda a realidade” e é chave de leitura do que somos na nossa experiência humana”.

As Jornadas Nacionais de Catequistas 2019 decorrem em Fátima até ao próximo Domingo sob o tema «Uma Catequese Inovadora” e conta com mais de sete centenas de participantes de todo o país.

Educris|25.10.2019



Recursos:
JNC19: «A palavra de Deus contada às crianças»:
JNC19/Áudio: «A palavra de Deus contada às crianças»



Newsletter Educris

Receba as nossas novidades