EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

Évora: XXVIII Encontro de alunos de EMRC acolheu 3500 alunos

Vila de Portel foi o lugar de escolhido para mais uma iniciativa da EMRC de Évora

«Abre o Teu Coração» foi o tema que levou ontem, dia 9 de maio, 3500 alunos que frequentam a disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica a Portel.

Presente no encontro o Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho lembrou aos alunos “que todos temos uma missão” e que “nenhum jovem está em situação de desemprego ou no sofá”.

O prelado exortou os mais novos a “abrirem o coração para a paz” de modo a que se possam “construir pontes de tolerância, amizades e respeito para tornarmos o mundo melhor”.

“Peço-vos que sejais capaz de abrir o coração para os outros, para a missão de modo a construirmos a paz e com ela fazermos um mundo melhor”.

Evocando “São Nuno de Santa Maria” D. Francisco Senra Coelho pediu aos mais jovens que sejam capazes de “descobrir as tantas Índias” presentes no coração de cada um, num convite a que “sejais originais e não fotocópias e que ponhais os talentos a render”.

Em declarações ao Departamento de Comunicação da Arquidiocese alentejana o arcebispo destacou “a sementeira de esperança” que a disciplina representa e a responsabilidade do Estado em “permitir” esta oferta a todos.

“São corações que recebem uma mensagem de paz, sabemos que o segredo para a paz está na construção da comunhão fraterna, solidária, na capacidade de construirmos pontes como nos pede o Papa Francisco, de não sermos nunca colaboradores com muralhas que nos separem. E acho que o contributo da disciplina de EMRC é muito grande para essa edificação”, referiu D. Francisco Senra Coelho.

Para o prelado o conjunto de valores que são transmitidos a estes jovens, através das aulas e durante estas iniciativas, permitem “alargar o coração de cada um” que é fundamental “para a educação de cidadãos bem consolidados, empenhados na “construção de um mundo melhor”.

“Por isso há pais que distinguem, valorizam este contributo, esta proposta, e há também uma valorização muito grande que vem dos próprios jovens, adolescentes, que alguns assumem por si mesmos este contributo no seu currículo. Na sua liberdade optam, e pela experiência que vão fazendo vão percebendo que é uma mais-valia”, sustentou.

D. Francisco Senra Coelho apelidou a disciplina como “um espaço de diálogo, de debate com a perspetiva dos valores e da humanização que uma escola pode oferecer. Uma escola em a EMRC é muito mais pobre”.

O prelado lembrou o “grande desafio que se coloca à Igreja de “formar e preparar professores, que, de acordo com a legislação em vigor, estudem e se formem com competência científica, pedagógica e didática” para que a disciplina “possa chegar a cada vez mais alunos”.

Um “obrigado” aos professores

Aos professores o arcebispo de Évora deixou um agradecimento especial a todos os docentes que trabalham neste campo.

Docentes que, frisou aquele responsável, “têm feito autênticos milagres, muitas vezes em condições muito exigentes, nem sempre favoráveis, uma vez que jogam muitas vezes com horários não completos, e têm que ter uma coragem grande, até de dádiva da sua vida, quase em voluntariado”.

O responsável do DEIE, padre Manuel José Marques, afirmou que o encontro se torna cada vez mais importante “porque hoje muitos jovens vivem isolados, sem pais e família por perto” e esta iniciativa “permite que os mais novos façam encontro, cara a cara, criando laços de amizade e de novidade.

O XXIX Encontro de EMRC da arquidiocese de Évora vai acontecer em 2020 em Sousel.

Educris|10.05.2019

Fotografia: Arquidiocese de Évora

 



AJUDA de Navegação


© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |