EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

Coimbra: «Avaliação e desafios» à lecionação da EMRC na diocese

Reunião de docentes realizou-se no seminário de Coimbra

Cerca de três dezenas de docentes de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) avaliaram a presença e os desafios da disciplina na diocese de Coimbra.

“Temos cerca de 57 docentes a trabalhar na diocese e uma boa adesão de alunos nos vários ciclos de ensino. Dividimos a diocese em quatro zonas, distintas, e com características que nos permitem estabelecer um plano de ação que passa pela manutenção da presença ou pelo reforço da mesma nas diferentes escolas”, revelou ao EDUCRIS João Mendes, diretor do Secretariado da EMRC na diocese, no final da iniciativa.

No encontro os docentes analisaram as “duas cidades” onde a presença da disciplina se encontra mais fragilizada e estabeleceram um plano de intervenção e divulgação da EMRC.

"A nossa presença é bastante significativa nas escolas da diocese com exceção das cidades de Coimbra e de Pombal. No próximo ano queremos ajudar os docentes a chegarem junto dos agrupamentos de escuteiros e das próprias paróquias para sensibilizarem as comunidades para a importância da EMRC na escola e a sua distinção da catequese”, sustentou o responsável.

“Ainda permanece, mesmo entre as comunidades cristãs, uma cerca ideia de que a catequese e a EMRC são iguais, o que faz com que alguns tendo uma não frequentem a outra. É fundamental que se entenda a EMRC como uma proposta clara de diálogo com a cultura, partindo da perspetiva cristã, mas capaz de ser representativa da área da formação da dimensão religiosa e ética na escola que não parte do pressuposto da fé no qual nasce e se desenvolve a catequese”.

Formação, Interescolas e o desafio dos cursos profissionais

Com a entrada em vigor do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, a EMRC passou a integrar as matrizes dos cursos profissionais, como “disciplina de oferta obrigatória e de frequência facultativa, com uma carga horária nunca inferior a 81 horas, a distribuir pelos três anos do ciclo de formação”.

No último ano a disciplina já esteve presente no currículo de “dois dos colégios católicos com oferta profissional” e existem perspetivas “para que neste ano “o universo se alargue para a realidades das escolas estatais”.

“Temos vindo a trabalhar com os docentes na divulgação desta nova oportunidade e desafio em contexto de formação profissional. Acreditamos que podemos levar esta proposta formativa integral aos alunos que no secundário optaram pela via profissional”, sintetiza João Mendes.

Educris|24.07.2019

 



AJUDA de Navegação


© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |