Papa na Hungria: Francisco pede «Igreja que mostre rosto de Jesus» e construa pontes

Encontro com Bispos em Budapeste marcado por mensagem forte de respeito pelas “diferenças culturais, étnicas, políticas e religiosas”

O Papa Francisco pediu, neste domingo, aos bispos húngaros, uma atitude de abertura nas comunidades católicas no ir “ao encontro com o outro” e no “cultivar juntos o sonho de uma sociedade fraterna”.

“A Igreja não pode deixar de ser protagonista de proximidade, dispensadora de solicitude e conforto às pessoas para que nunca se deixem roubar a luz da esperança”.

No Museu de Belas Artes, em Budapeste, Francisco recordou a Hungria como um país “onde há muito convivem pessoas provenientes doutros povos”, Francisco apontou “as variadas etnias, minorias, confissões religiosas e migrantes” como uma “oportunidade para abrir o coração à mensagem do Evangelho”.

“Face às diferenças culturais, étnicas, políticas e religiosas, podemos ter duas atitudes: fechar-nos numa defesa rígida da nossa dita identidade, ou abrir-nos ao encontro com o outro e cultivar, juntos, o sonho duma sociedade fraterna”, afirmou.

Olhando para a ‘ponte das correntes’, que na cidade serve para unir Buda e Pest, o Papa pediu uma Igreja “que construa novas pontes de diálogo” mostrando-se como “uma mãe”, com “rosto acolhedor para com todos, incluindo quem provém de fora, um rosto fraterno, aberto ao diálogo”.

“Que a Igreja húngara seja construtora de pontes e promotora de diálogo”, apelou.

Numa breve deslocação a este país do centro europeu, por ocasião do encerramento 52.º Congresso Eucarístico Internacional, o Papa sustentou a necessidade de “preservar o passado”, mas olhar “o futuro”, procurando “novas formas de anunciar o Evangelho”, disse citando o seu antecessor.

“A tradição cristã não existe para repetir uma notícia do passado, mas é voz profética da perene atualidade do Evangelho na vida do povo santo de Deus e na história atual. Não é uma coleção de coisas, de palavras, como uma caixa de coisas mortas, mas o rio de uma nova vida que vem das origens, de Cristo até nós, e nos envolve na história de Deus com a humanidade”.

Depois de um breve encontro, privado, com as autoridades civis locais, o Papa Francisco seguiu viagem para Bratislava, na Eslováquia, onde vai permanecer, até 15 de setembro, em Viagem Apostólica.

Educris|13.09.2021

Imagem: Vatican Media



AJUDA de Navegação


© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |