EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

Igreja e Estado: Que diálogo?

Foi sob este tema que no passado dia 6 de Outubro, perante uma assembleia de 68 pessoas, entre as quais se contava a de D. António Francisco dos Santos, Bispo de Aveiro, e mais 20 participantes On-Line, que o Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro (ISCRA) reabriu as «Tertúlias à Quarta» deste ano 2010/2011.

Nesta primeira Tertúlia, realizada na Semana Nacional da Educação Cristã e nascida da parceria entre o ISCRA, a Fundação SNEC e o Centro Universitário Fé e Cultura (CUFC), o prelector convidado foi o Pe. Doutor Manuel Pinho Ferreira, Professor Universitário e Canonista da Diocese de Aveiro.

As palavras do Pe. Doutor Manuel Pinho ajudaram os presentes a reavivar a consciência como parte integrante na missão eclesial fundamental da evangelização. O prelector sublinhou que a postura social dos cristãos tem de ser, sem excepção, uma postura evangelizadora e apelativa. A missão de evangelizar ultrapassa as permissões que a lei da liberdade religiosa, de qualquer Estado laico, confere às várias religiões. Esta missão nasce do próprio Cristo, no qual os baptizados, pela força do sacramento do Baptismo, se encontram enxertados. Por este motivo, pode afirmar-se que a lei da liberdade religiosa vem ao encontro da natureza evangelizadora própria dos cristãos, mas não a define nem delimita. Neste sentido, o Baptismo não acrescenta nada de novo a essa "natural" disposição interior da pessoa em se relacionar com o Divino. É no mais recôndito da própria consciência que sucede o encontro íntimo entre o «Eu» humano e o «Tu» divino, porque é na consciência que o ser humano é tocado no mais profundo de si mesmo e convidado a uma nova forma de entender e viver a própria existência e a dos demais. O Baptismo surge, então, como o sacramento que aperfeiçoa esta relação de intimidade, e é neste enquadramento que cada cristão é chamado a dialogar com as realidades sociais e a esperar destas o respeito e a mudança própria de quem, mesmo na laicidade, tem a obrigação de defender e promover os valores mais íntimos da dignidade humana.

Os trabalhos, moderados pelo Presidente da Direcção do ISCRA, Pe. Dr. Querubim Pereira da Silva, possibilitaram o diálogo aberto sobre a presença da Igreja no sistema educativo Português e os desafios que daí derivam.

Nesta primeira noite, também foi possível escutar com deleite várias peças do repertório da Escola Diocesana de Música Sacra de Aveiro (EDMUSA), sob a orientação do Maestro Mário Costa. No final, o convite foi lançado para a participação na próxima Tertúlia, a realizar dia 3 de Novembro, pelas 21h, no CUFC, sobre o tema: «Que futuro para este mundo?», com a presença do Bispo Auxiliar de Braga, D. António Couto.

ISCRA

Serviço de Informação

Webmaster|2010-10-14|18:43:33




© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |