EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

Portalegre-Castelo Branco: Encontro de docentes de EMRC

Decorreu no dia 8 de Março, na Casa Diocesana Mem Soares, um Encontro de Docentes de Educação Moral e Religiosa Católica, da Diocese de Portalegre-Castelo Branco.

O Encontro foi orientado por D. Antonino Dias, bispo da diocese. Depois dos cumprimentos, ao sabor do bonito sol com que fomos presenteados, teve início às 10 horas a oração da manhã. De seguida, D. Antonino, deu início à reflexão centrada na família, nas mudanças que se têm operado na sociedade e que afetam direta ou indiretamente a célula familiar. Chamou a atenção para a Carta Pastoral difundida pela Conferência Episcopal Portuguesa a propósito de ideologia do género, “uma verdadeira revolução antropológica”, cada vez mais difundida mas que leva a erros de interpretação e nem todas as pessoas disso se apercebem. Trata-se de um movimento cultural que tem sérios reflexos na compreensão da família, na esfera política e legislativa. Desafiou os docentes e ler o documento e a prepararem-se para elucidar os seus alunos tanto nesta, como noutras matérias. Reforçou ainda o facto de esta ideologia do Género ir contra a visão bíblica e cristã da pessoa e da sexualidade humanas.

Dirigiu-se depois diretamente aos professores dizendo: “Sois professores de EMRC e estais nas escolas em nome da Igreja, num tempo com muitos modos de pensar, agir, sentir. É neste campo que o professor de EMRC tem que exercer a sua Missão, é aqui que tem de propor a fé”. Salientou a necessidade de tomarmos consciência que a fé não é algo que se impõe, mas que se propõe. “Isto implica mudança de atitude, de presença, de linguagem e de convições. Não é fácil, mas é uma meta a apontar, um caminho que precisamos trilhar”. Insistiu bastante nesta ideia, da proposta de fé, para que cada um possa depois fazer as suas escolhas em total liberdade.
Voltou ao tema da família para demonstrar como as mudanças sociais também levaram a mudanças na família. Há alguns anos atrás, esta era a transmissora dessa fé, hoje, muitos dos nossos alunos, têm um primeiro contacto com a fé nas aulas de EMRC ou na catequese, por isso a responsabilidade é grande. É preciso ter ideias claras e não partir de pressupostos. “Os alunos têm que encontrar no professor de EMRC o apoio perante as dificuldades que enfrentam, precisam sentir que não estão sós, que não são abandonados. Por isso o professor tem que propor valores sólidos a partir de metas alcançáveis”, referiu D. Antonino.
Falou depois de uma característica que é fundamental nos cristãos e claro ainda mais num professor de EMRC, a alegria. “Devemos evangelizar com alegria”. Na primeira exortação apostólica do Papa Francisco, “Evangelii Gaudium”, A Alegria do Evangelho, o Papa, logo na introdução diz-nos: “Quero, com esta exortação, dirigir-me aos fiéis cristãos a fim de os convidar para uma nova etapa evangelizadora marcada por esta alegria e indicar caminhos para o percurso da Igreja nos próximos anos”. Foi a partir deste desafio do Papa que também D. Antonino lançou o mesmo desafio aos professores, socorrendo-se das palavras do Papa Bento XVI “a fé não é um peso, mas uma fonte de alegria”.
Por isso, a aposta vai no sentido de levar os outros “a fascinarem-se com Deus. É preciso educar para a beleza e com beleza”, disse D. Antonino. Nos tempos conturbados e de mudança a que assistimos é preciso propor a fé com beleza e encanto, com a alegria de ser cristãos. Lembrou que nós não somos o centro do anúncio, temos que ser o reflexo daquilo e daquele que propomos. Só conseguimos isso, disse D. Antonino se estivermos bem enraizados com as razões da nossa fé. A mensagem passa pelo testemunho, “temos que viver o que anunciamos”. E foi com esta mensagem de alegria, de radicalidade no anúncio do Evangelho que D. Antonino terminou a sua comunicação.
Seguiu-se a Eucaristia, cuja reflexão neste 1º Sábado da Quaresma, levou a interiorizarmos a necessidade de ultrapassarmos a indiferença que percorre a nossa sociedade. “O homem precisa da Palavra de Deus” disse D. Antonino. Apelou à conversão e mudança de vida. Não nos ficarmos por mais uma Quaresma, mas que algo de novo possa acontecer.
Às 13 horas aconteceu o almoço e na parte da tarde um tempo para algumas informações, nomeadamente de preparação dos encontros do 9º ano e Secundário em Alter do Chão, no dia 1 de Abril, do IVº encontro Nacional do Secundário em Braga nos dias 23 e 24 de Abril, do XIVº Interescolas do 1º Ciclo em Fátima no dia 23 de Maio, assim como de outras informações pertinentes de modo a superar os novos desafios que se avizinham, no caso especifico dos concursos abertos em 2014 para seleção e recrutamento de docentes de EMRC, e também dos concursos de contratação de escola que abrirem no próximo ano letivo de 2014-2015, nos estabelecimentos de ensino situados na área geográfica desta Diocese de Portalegre-Castelo Branco.
Conceição Cardoso




© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |