EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

Novo Diretório Geral da Catequese atento aos desafios da Nova Evangelização

Responsável pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização anunciou documento para o presente ano.

A Santa Sé prepara a apresentação de um novo Diretoório Geral para a Catequese. O anúncio foi feito pelo presidente do Conselho Pontifício, D. Rino Fisichella, que tem a seu encargo a catequese da Igreja.

"O novo documento para a catequese da Igreja dará atenção particular a muitas das temáticas da sociedade atual que se relacionam com setor da educação cristã, como a cultura digital, a formação de catequistas, a pastoral que é feita em tantos ambientes ou a catequese para pessoas portadoras de deficiência", afirmou o prelado em declarações ao Folha de Domingo.

Presente, como orador, nas jornadas de atualização do clero do sul decorrem em Albufeira, o responsável destacou a necessidade do documento refletir a dimensão da nova evangelização e ser ligo a partir desta em contraponto com a atual dimensão sacramental":

"Certamente ajudará a compreender que o grande esforço pastoral é aquele que deriva da formação. O novo diretório será estudado e concebido à luz, não da dimensão sacramental, mas da nova evangelização".

Desde janeiro de 2013 que o setor da catequese na Igreja Católica passou para a competência do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização saindo da esfera da Congregação do Clero.

D. Rino Fisichella afirmou a catequese como "um passo fundamental no processo de evangelização que é missão, tarefa e responsabilidade da Igreja". "A catequese não se pode limitar à receção de sacramentos desde a primeira comunhão ao crisma".

Na conferência que proferiu aos padres do sul do país o prelado situou a catequese e estabeleceu a sua relação com a nova evangelização:

"Parece-me que deveríamos sair do túnel, em que, ao longo de algumas décadas, a catequese foi pensada apenas em vista dos sacramentos. Se a catequese vive em função dos sacramentos, que hoje estes estão reduzidos aos da iniciação, é óbvio que começa a falhar na sua própria função, que é a de consentir o amadurecimento da fé em relação com as condições de vida do crente".

Educris!29.01.2019

Imagem: Samuel Mendonça




© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |