EESTATÍSTICAS DIOCESES E ESCOLAS

UTILIZADOR:  
PASSWORD:    

Riquezas mal distribuídas atrofiam a liberdade e impedem a generosidade

O olhar triste de tanta gente que connosco cruza nos caminhos da vida deve-se tantas vezes ao excesso de riquezas mal distribuídas que atrofiam a liberdade e impedem a generosidade". Este foi, no momento que atravessamos, o alerta do Bispo de Aveiro e membro da Comissão Episcopal da Educação Cristã, D. António Francisco dos Santos, proferido na homilia da eucaristia conclusiva da semana nacional dedicada a este tema, celebrada na igreja matriz da Gafanha da Nazaré, neste Domingo.

Depois de sublinhar a importância que a Igreja Católica dá à família, à escola e à comunidade, "como elos essenciais da sociedade e servidores da educação das crianças, dos jovens e dos adultos", D. António afirmou que a "vida das nossas terras tem mais sentido e maior encanto com a presença e com o trabalho das escolas ao longo do ano lectivo e com a acção pastoral das comunidades".

Lembrou "quanto recebemos da família, da escola e da comunidade onde nascemos, crescemos e vivemos", sendo certo que elas "modelam o nosso ser e o nosso agir", preparando-nos para o futuro "como pessoas, como cidadãos e como crentes".

O Bispo de Aveiro, ao dirigir-se aos sacerdotes, recomendou que todos devem dar especial atenção à catequese em todas as idades, fazendo dela "uma actividade prioritária, suscitando e alimentando nas comunidades uma verdadeira paixão" pela transmissão da fé, nos diversos espaços catequéticos.

D. António Francisco considerou particularmente importante no ministério dos sacerdotes e na acção da Igreja "uma articulação e relação entre a comunidade, a escola e a família".

E acrescentou: "Este diálogo deve implicar um trabalho conjunto entre párocos, famílias, catequistas, professores de Educação Moral e Religiosa Católica e outros agentes educativos, a fim de se apoiarem na sua missão, de lhes proporcionarem um enquadramento comunitário e de procurarem uma maior harmonia entre as acções pastorais, desenvolvidas nas famílias, nas escolas e nas paróquias."

O prelado aveirense ainda manifestou a esperança de que neste trabalho e nesta missão haja "abertura e co-responsabilidade em todos os que hoje vão ser eleitos para o serviço das autarquias locais". E frisou que a educação, estando cada vez mais vinculada às autarquias locais "como serviço de proximidade", deve merecer, a quantos exercem este serviço, "uma progressiva atenção na certeza de que da qualidade do serviço educativo depende o bem das crianças e dos jovens e a construção do bem comum".

Fernando Martins

Webmaster|2009-10-12|14:23:55




© SNEC, Todos os Direitos reservados | Contactos |